Questão: Qual é a opinião da Igreja sobre o céu e o inferno?

Qual é a opinião da Igreja sobre o céu e o inferno?

A Igreja oficial defende desde o século XV que o castigo do inferno destinado aos pecadores é “eterno”, ideia iniciada no século VI com Santo Agostinho. O papa Francisco acaba de revisar tal doutrina católica ao afirmar que a Igreja “não condena para sempre”.

O que é o inferno para a Igreja Católica?

O Inferno é a morada de Satanás e de pessoas que morreram em pecado mortal e nunca arrependeram-se sinceramente. É um lugar ou estado da alma em que o condenado não pode se arrepender e assim nunca sairá de lá.

Quando foi criada a doutrina do purgatório?

Até então, o purgatório era compreendido como um processo de salvação espiritual que fugia do que era normalmente convencionado pela Igreja. Segundo a pesquisa de alguns historiadores, a ideia de que o purgatório fosse um “lugar à parte” somente tomou forma entre os séculos XII e XIII.

O que a Bíblia diz sobre o inferno?

Na Bíblia o termo está estritamente relacionado a abismo e sepultura. “De acordo com o pensamento dos israelitas antigos, um abismo escuro e silencioso situado nas profundezas da terra, para onde todas as pessoas iam depois de morrer.”

Qual é a doutrina da Igreja Católica?

As doutrinas principais do catolicismo são: há um único Deus que subsiste em três pessoas, a Trindade Santíssima, existem céu e inferno, vida após a morte e o purgatório com diferentes estágios, determinando o destino dos fiéis com base em seus atos e obras em vida, com consequências no juízo final, designando-lhes a …

ISSO É INTERESSANTE:  Pergunta frequente: Qual livro da Bíblia e estruturado nas relações entre o amante e a amada?

Quem está condenado ao inferno?

Ali, «todos os cobardes, os infiéis, os depravados, os assassinos, os desonestos, os feiticeiros, os idólatras e todos os mentirosos terão o seu lugar no lago de enxofre ardente, que é a segunda morte.» (Apocalipse, 21: 8).

Quais são os pecados mortais?

Aos tradicionais “sete pecados capitais”, soberba, avareza, luxúria, ira, gula, inveja e preguiça, tem de se acrescentar os novíssimos, pedofilia, poluição do meio ambiente, aborto, tráfico de droga, riqueza desmesurada e manipulação genética.

Quem confirmou a existência do purgatório?

Apesar de condenar a venda de indulgências, como combatia Lutero, a Igreja manteve teses condenadas pelos evangélicos: confirmou o culto às imagens de santos e à Virgem Maria, ressaltou a importância das missas, confirmou a existência do purgatório, manteve a proibição do casamento para membros do clero e a …

Onde fica o purgatório?

Segundo a definição da Enciclopédia Católica, purgatório consiste em “um lugar ou condição de punição temporal para aqueles que, deixando esta vida na graça de Deus, não estão inteiramente livres de erros veniais, ou não pagaram completamente a satisfação devida pelas suas transgressões”.